Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje!
novembro 8, 2016
Planeje suas finanças e inicie o ano com o pé direito!
dezembro 6, 2016
Exibir tudo

Como minimizar os efeitos do estresse

 

Segunda-feira, 6 horas da manhã e seu celular desperta. Qual sua reação? Você levanta feliz e motivado para mais uma semana de conquistas e realizações ou você simplesmente não quer sair da cama? Caso sua resposta seja a primeira, parabéns, você está no caminho certo! Agora, se você é daqueles do segundo caso, que não quer sair de maneira alguma da cama para enfrentar mais um dia de trabalho, as pessoas, a academia, a dieta, a chuva, o sol, o trânsito e todas as demais situações do seu cotidiano, então você corre o sério risco de estar sofrendo de estresse.

Mas o que vem a ser esse estresse? O estresse nada mais é que uma resposta física normal para eventos que fazem você se sentir ameaçado ou quando você está sob pressão. Ao sentir um perigo, seja ele real ou imaginário, as defesas do organismo disparam em alta velocidade inundando nosso organismo de hormônios, dentre eles a adrenalina e o cortisol, em um processo muito rápido conhecido como reação ao estresse. O estresse pode ser muito útil, como por exemplo em situações de emergência, onde você precisa agir muito rápido ou com muita força e também quando você precisar enfrentar alguns tipos de desafio, como se manter concentrado em um ambiente com certo excesso de barulho. O problema é quando esse “gatilho” do estresse começa a ser muito acionado, pois aí o estresse deixa de ser útil e começa a causar muitos danos a sua saúde, a sua produtividade, a suas relações, enfim, a sua vida.

E quais são as causas do estresse? Existem algumas pessoas que logo dirão: pressão no trabalho, relacionamento desgastado, contas que não param de chegar e diversas outras causas externas. Há outra corrente, onde me encaixo, que acredita que a causa do estresse é inteiramente interna e ele se origina na falta de um propósito, um motivo maior naquilo que está sendo realizado, seja um trabalho ou qualquer outro afazer.

O primeiro passo para observar como está seu nível de motivação  é se perguntar todos os dias, antes de sair da cama, o propósito pelo qual irá fazer o que está programado para aquele dia. Se o motivo para você sair da cama for um motivo pequeno ou desalinhado com seus valores, você provavelmente entrará muito em breve no modo automático, onde se faz tudo de forma inconsciente e logo estará estressado.  O segundo passo é nunca parar no primeiro motivo ao se perguntar para que está realizando alguma tarefa. Por exemplo, a se perguntar “para que vou trabalhar?”, a resposta mais óbvia será “para ganhar dinheiro”. Mas não pare por aí! Continue com as perguntas: “para que preciso de dinheiro?” e assim sucessivamente, até chegar ao verdadeiro propósito, ao motivo maior que realmente te impulsiona.  

O último passo, mas não menos importante, é tentar alinhar sua vida, seu trabalho, suas relações e tudo mais que você faça, a um propósito claro. Napoleon Hill, no início do século XX, pesquisou o que as pessoas de sucesso tinham em comum, e um dos pontos que identificou é que todos tinham um objetivo principal claramente definido, que dava motivação e direcionamento. Com este propósito claro, dificilmente você será uma daquelas pessoas estressadas, que reclamam de tudo e passará a levar uma vida valiosa e inspiradora, e são de pessoas assim que estamos precisando para construir um mundo melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *